Doce milonga

Tempo de leitura: 3 minutos

Olá,

Há algum tempo, a Karina e eu temos a idéia de que o Tango Brasil cresça também como um espaço tanguero online, uma comunidade onde possamos ter mais colaboração entre os apaixonados pelo tango.

E, dentro dessa visão, hoje trazemos algo diferente… Um texto escrito por uma de nossas leitoras (também aluna, amiga e futura jornalista), Mariana Rizzuto.

Alma apaixonada. O violino anuncia… É uma eterna briga. Não existem vencedores ou perdedores. São apenas dois seres que duelam com ardor, como se o amanhã não existisse. Colocam sua intensidade vital em cada passo. A respiração é compassada, o mundo à volta precisa ser esquecido. É conexão, é sentir o que o outro quer passar. Quem dança Tango sente o poder passando pelo seu corpo, a vitória eminente que está prestes a nascer.

Doce milonga

O Tango tem sabores amargo e doce. Quem se apaixona por ele sabe que, a partir daquele momento, é para sempre essa paixão. Ao ouvir um acorde, já dança mentalmente, seu corpo tenta se controlar para não sair dançando. É como ter uma força sobrenatural atuando em si. Só quem é “tangueiro” conhece bem essa sensação. E é um mero refém, se deixa entregar por inteiro a essa dança que encanta.

Tem seu ar sedutor, que te embala e leva consigo. É como uma troca de olhar entre dois apaixonados. Não existe razão, só emoção. As energias fluem ao redor, uma energia invisível, mas você pode quase vê-la. Não tem jeito, é algo quase indescritível. É preciso vivenciar tudo isso para poder saber o sentido destas simples palavras.

É amor, ódio, tristeza, é uma das danças mais ricas. Se um dia estiver de bobeira, toma cuidado, porque Tango tem a alma de um malandro que lhe prepara uma emboscada virando a esquina. E se você cair nesta, já é caso perdido. Você se transforma e sua alma viaja. Já é um jogo perdido.

E aí?! Gostou do texto? Você também pode acessar a publicação original em: http://redacao.mackenzie.br/doce-milonga/

E para quem quiser saber um pouco mais sobre a Mari e seu trabalho, é só clicar em: http://redacao.mackenzie.br/mariana-rizzuto/

É isso aí! Nós sempre observamos o quanto o Tango inspira as pessoas, e essa inspiração, muitas vezes, se manifesta em palavras… Sentimos que o Tango precisa de mais espaços onde essas palavras possam fluir. Queremos que o Tango Brasil seja uma casa para essas palavras inspiradas pelo Tango.

“A maioria das doenças que as pessoas têm são poemas presos.
Abscessos, tumores, nódulos, pedras…
São palavras calcificadas, são poemas sem vazão.” – Viviane Mosé

Você também se sente inspirado pelo Tango e quer ver suas palavras aqui no Tango Brasil? Então, manda o seu texto pra mim (kiraly@tangobrasil.com). A Karina e eu vamos ler todos os textos e selecionar alguns para publicar aqui (sempre com os créditos, é claro!). Outros, poderão dar origem a frases em nossa página no Facebook, por exemplo…

Falando nisso, se você ainda não conhece a página do Tango Brasil no Facebook, entre lá e curta a página para acompanhar tudo o que publicamos e ter uma conversa mais frequente com a gente no dia-a-dia.

Fica aí  o link pra você: https://www.facebook.com/tangobr/

Um grande abraço,

Kiraly Garcia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *